Hello! Now you can select the language of your choice on our website. We know that the translation is not 100%, but can help a lot! Select below ;)


  • Entre em contato conosco pelo email contato@acervothai.com
(TG) muaythai no brasil, Blog do Tigrão

Treinão em JAMPA

Rapha e Marcos Amik

Fui passar uns dias com minha mãe, que mora em João Pessoa. Como já conhecia o Marcão (@marcos.amik), perguntei o horário que ele dava aula pra eu poder pegar um treininho, mas aí ele convocou ouros professores e seus alunos, e o resultado disso foi uma inesperada grande troca de ideias.

Então aproveitei o embalo, pedi pro meu sobrinho filmar o treino (valeu gordinho :* ) e entrevistei o Marcos Amik, que é treinador pela equipe Thai Paraná e o Guilherme Pengo, que é diretor técnico da Federação da Paraíba. Confira aí a entrevista e em seguida o vídeo da brincadeira.

Como está o cenário do Muaythai em Jampa e na Paraíba?

MARCOS AMIK: O cenário do Muaythai está crescendo aqui e independente do tempo que levar irar gerar bons frutos. A busca por conhecimento gerou mais união dentro da Paraíba, essa é a palavra chave! A busca por conhecimento, diminuiu a distância entre cidades e treinadores do estado, e acredito que no nordeste em geral com o desenvolvimento da Liga Nordeste. Isso tudo baseado em busca de conhecimento!

O padrão, a metodologia de ensino da Thai Paraná foi bem visto e podemos ter a mesma linguagem dentro de debates da Liga Nordeste. E estamos tendo bons resultados. Por aqui já tivemos workshop, aulões, seminários internacionais e nacionais. Entre alguns que posso citar agora: Laythongnoi Sitthchok, Pear, Pairojnoi, Alex Paraná, Reni fraga, Rapha Ribeiro, Raoni. Aguardamos ainda Thyago da puro Thai, Luiz Rico se possível ainda esse ano, e estaremos em contato com Berg de Goiás e Cazolari… são treinadores que desejamos absorver seus conhecimentos e experiência.

Guilherme Pengo

GUILHERME PENGO: O cenário do Muaythai em João Pessoa está em ascensão devido a procura fitness (moda da modalidade nacional). Implantamos o Muaythai em João Pessoa em 2004, antes disso tínhamos apenas o kickboxing. Em 2006 fundamos a FPMT para regulamentar o esporte no estado. De lá pra cá conseguimos elevar o nível do MT e hoje oferecemos as mesmas possibilidades que os grandes centros. No estado temos alguns grupos filiados a FPMT aonde conseguimos regular o nível do treinamento. Não posso falar pelos demais, mas pelo que vejo nos eventos, nem todos seguem as regras.

Aqui o Muaythai é tratado como esporte autônomo ou apenas ponte para MMA?

MARCOS AMIK: A acredito que Muaythai está engatinhando para ser tratado como esporte, e não apenas como atividade esportiva para saúde. Recentemente busquei ajuda do Guilherme Pengo na realização de um evento de Muaythai, será primeira vez que realizo um evento e nós juntos criaremos a possibilidade de desenvolver um GP interestadual.

O GP será realizado em algumas cidades do nordeste e no  mês de outubro seria a grande final em João Pessoa. Acredito que está dando certo, muito certo por não ter MMA envolvido, dessa forma podemos estudar, aperfeiçoar a regra e o julgamento da luta. Elaborar estratégia e saber durante o combate se o atleta está vencendo ou perdendo. Em nossa equipe não trabalhamos com MMA. Apesar de várias propostas e eu mesmo em meu passado já ter feito parte desse meio.
Hoje a nossa conduta direcionada apenas para o Muaythai tradicional objetivo que já muito difícil. O foco é completo em estudar Muaythai e o direcionamento é a Tailândia.

GUILHERME PENGO: O Muaythai aqui é tratado como um esporte a parte, sendo pouco procurado por lutadores de MMA. 

União, diálogo e conversa: isso existe entre equipes?

MARCOS AMIK: Sim, existe o diálogo com alguns treinadores tanto de João Pessoa como em Campina Grande aonde sempre convidamos a participar dos eventos e nos oferecemos caso prefiram leva os treinadores de fora para a sua cidade. O diálogo é uma forma de se atualizar, ajudar um ao outro! Observei bem como isso surtiu efeito fora do estado. Pude entender e absorver a visão dos integrantes da 013 (João, Luiz e cosmo Alexandre), Sandro de castro, Adyton com Gae, o Sagadpet junto com Amendoim e Leo Elias, galera da Siam fight entre outros… Esta informação que é absorvida é sempre dividida!

Temos dois professores de duas equipes diferentes que estão treinando conosco. As portas sempre estão abertas quando o assunto é Muaythai. Na Thai Paraná nossa comunicação, os diálogos ocorrem muito por vídeo por conta da distância. Alex Paraná mora em Cuiabá, Jardel está em Canindé, e eu estou João Pessoa.  Através de vídeo aulas conseguimos fazer análise de movimentos, debates, desenvolvimento de técnica, análise de lutas e isso tem dado certo. Jardel por exemplo vem de conquista com Mydson no GP do Thai Kids!

Hoje temos muito conteúdo para ajudar e não faltará humildade para aprender, até chegarmos em nosso objetivo. Um deles direcionar a gurizada para Tailândia! Vamos nos manter com a essa ideia e o tempo será nosso aliado.

GUILHERME PENGO: A FPMT promove pelo menos dois seminários obrigatórios para os treinadores ao ano. Deixo sempre minha academia a disposição para os treinadores irem se reciclar e sempre que posso visito as academias dos filiados promovendo aulões. Somos filiados a PMIF, e os mestres Pairojnoi e Ademir Mori geralmente ministram os seminários.

A união entre equipes filiadas a federação é muito boa, fora isso particularmente me dou bem e tenho bom relacionamento com todos, em especial Marcos Amik e Valderi, de Campina Grande.

O nível dos eventos vem melhorando a cada etapa. Seguimos as regras e nossos árbitros são formados pela PMIF. Eu já fiz dois camps na Tailândia (2014, 2016) e em fevereiro de 2018 estarei lá novamente. Sou praticante Muaythai desde 1996 na equipe Gibi Thai em SP. Hoje atuo como treinador em João Pessoa e represento o cargo de diretor da FPMT.


Comentários

Comentários

Publicação anteriorConfira também!